quinta-feira, 11 de novembro de 2010

Vamos seguir!!!


Olá pessoal!

Gostaria de convidá-los para visitar e participar do meu mais novo empreendimento.

Vamos lá, acesse, comentem, siga-me. Tenho certeza que todos vocês irão a-do-rar!!!

Bjks ;)


A pessoa mais linda do mundo

Essa é a minha avó.


Um anjo, um doce, um amor de pessoa, posso dizer que é a ÚNICA!
"Vó, sei que vc está em paz, e com certeza um dia estaremos juntas de novo. Só quero deixar aqui a minha homenagem à vc, que não foi só a minha AVÓ... Foi minha mãe, minha amiga, minha protetora.. meu TUDO!!!
TE AMAREI ETERNAMENTE, minha
Naná!"

quarta-feira, 31 de março de 2010

sexta-feira, 19 de março de 2010

19 de março, meu aniversário =D


Hj é o dia do meu aniversário!
Todos os anos, é o dia mais feliz para mim!
Que Deus continue me proporcionando tudo que eu já tenho: saúde, paz, amor, felicidade, humildade, simpatia, amigos, companheirismo, lealdade, honestidade, sinceridade, família... tudo, sem tirar nem por!
Bjks...

quarta-feira, 17 de março de 2010

Se o Amor Pudesse Gritar - Letícia Thompson


Se o Amor Pudesse Gritar

Letícia Thompson


Não sei dizer se é a falta do tempo, ou não querer perdê-lo,

que nos leva a buscar coisas prontas

ou pelo menos que nos dêem o menos trabalho possível.

É como se quiséssemos cortar caminho para chegar

ao mesmo ponto que o coração visa.

No nosso relacionamento com outras pessoas temos também

uma certa tendência a, ao invés de construir relações,

querer encontrar coisas feitas, situações prontas

e que nos dêem segurança.

Construir significa ter trabalho, empenhar-se, dar de si e,

por que não, ceder e perder-se um pouco

na busca de um encontro profundo.

Nos lamentamos pelo que não foi construído para nós

e nos esquecemos do nosso poder de reparar,

recuperar e reconstruir.

Se temos um sonho, por que esperar que outros

ponham as escadas no caminho para que subamos às nuvens?

Colocando, nós, cada degrau,

saberemos onde estaremos pisando.

Aquilo que exige de nós tempo e esforço

merecerá uma alegria muito maior no dia da conquista.

Uma das histórias reais e mais bonitas que conheço

é essa dessa filha que foi abandonada pela mãe quando criança.

Ela cresceu com o sonho de ter uma mãe

e já na idade adulta procurou pela mesma,

colocando de lado todos os porquês de tanto abandono,

de tantos anos de dor e solidão.

Ela "decidiu" ter a mãe e tem.

Cuida dela como se fosse a flor mais linda

e preciosa do mundo,

por que ela conhece o que é desejar e não ter

e escolheu não viver a vida lamentando-se pelo tempo perdido.

Constrói álbuns à partir do tempo que recuperou,

vai acumulando lembranças para o dia do amanhã

e saudade sincera para o possível dia da partida.

Penso que abençoada é essa mãe e preciosa é essa filha.

Precioso é esse ser humano.

Nossas razões nos colocam limitações.

Os erros alheios nos parecem imperdoáveis

e punidos somos nós pela rejeição

da construção de uma vida diferente e nova,

os quais seríamos o arquiteto,

pedreiro e feliz proprietário.

Quando deixamos de falar com uma pessoa

porque nosso coração ficou ferido,

vamos colocando a felicidade num passo a frente

e aquele momento de zanga fica perdido.

Se tínhamos dez oportunidades de sermos felizes,

teremos apenas nove porque nosso coração

foi orgulhoso demais e isso falou mais alto.

Toda felicidade não é utopia.

Utopia é pensar que permanecendo na nossa dureza

e guardando nossas razões

estaremos ganhando alguma coisa.

Sonhos não são quimeras,

são desejos que nosso coração pode realizar.

Se o amor pudesse sempre gritar,

se ele pudesse segurar nosso rosto para a direção do sol

e das flores, seríamos mais felizes,

menos sérios, menos graves, mais leves,

mais próximos do céu.

Pessoas perfeitas não existem.

Pessoas que querem dar o melhor de si já são,

para Deus, um pedaço do sonho da perfeição.

Podemos todos ser o sonho de Deus.

quinta-feira, 25 de fevereiro de 2010

E o mais importante... Faça seus sonhos toranarem-se reais!!!
Bjks ;-)

sexta-feira, 5 de fevereiro de 2010

A PAZ INTERIOR


A Paz Interior

Letícia Thompson

A paz interior é esse caminho que queremos todos atravessar.

É essa senda onde as culpas ficaram para trás,

o sentimento de dever cumprido fica presente

e o arco-íris aponta para o infinito.

Buscamos todos, com vontade, força, verdadeira luta.

Somos, talvez, um pouco desajeitados nessa nossa busca.

Queremos sim,

com a força do nosso coração e da nossa alma,

mas tropeçamos sempre

nesses sentimentos humanos que nos fazem,

se não iguais a todo mundo, bem parecidos.

Acumulamos os restos do dia,

nos esquecemos de varrer a casa da alma a cada noite

para o repouso tranqüilo e reparador

para o novo recomeço na manhã seguinte.

Temos dificuldade em perdoar,

esquecer, passar por cima e ir em frente.

E a alma se inquieta,

a paz tarda a chegar porque colocamos,

nós mesmos, impedimentos.

Achamos que dar o braço a torcer e seguir em frente

seria nos curvar e

somos por demais orgulhosos para isso.

Optamos, então, por buscar a paz de outras maneiras.

Outras maneiras...

como se existissem...

Não haverá paz no mundo

enquanto ela não começar no coração do homem.

Enquanto esse mesmo homem não começar a tirar de si

as pedrinhas que incomodam a si e aos outros

e não pensar na felicidade alheia como um objetivo

tão importante como a felicidade própria.

Não haverá paz interior

enquanto o exterior estiver em guerra,

enquanto não compreendermos que somos o sal da terra

e que se nossa luz não brilhar

todos os caminhos serão escuros.

A paz interior não está no alto ou em baixo,

nos mares ou nas montanhas

e nem mesmo nas maravilhosas flores

que tanto nos fascinam.

A paz interior começa onde

começa nossa compreensão de que nada somos

se de nós não damos.

Se não a encontramos, é porque buscamos errado.

Ela não começa do lado de fora,

ela começa e se termina em nós.

quinta-feira, 28 de janeiro de 2010

Mininus du Riu


Pessoal...

Essa banda chegou para ficar !!!

Os músicos já tem anos de bagagem e um profissionalismo invejável!!! Vale a pena vcs ouvirem, o som é de primeiríssima qualidade e as músicas, lindas! Sou tiete, e por isso, suspeita para falar. Por isso vcs precisam conferir. =)


Um pouquinho sobre eles:


Grupo musical idealizado e arregimentado pelo jovem cantor e compositor carioca Alexandre Gutti em janeiro de 2009. Formado por jovens músicos fluminenses, Mininus Du Riu, toca, canta e assume uma nova nomenclatura: música afro-carioca. A base são ritmos nacionais como o frevo, baião e jongo, porém, com ênfase na cena carioca tendo o samba como carro-chefe, mas acatando, sem preconceito, todos os contornos da música mundial. Aliás, o nome Mininus Du Riu surgiu quase como uma homenagem ao jeito carioca de se pronunciar Meninos do Rio.

Gutti: cantor, compositor e violonista, aperfeiçoou-se na escola Villa Lobos com aulas de canto e percussão e na escola portátil da Uni-Rio, paralelamente à faculdade de História.

Renato Klimeck: vocal, guitarra, arranjos. Além da grande técnica instrumental, é formado em engenharia acústica, dirige, grava e dita trilhas para espetáculos teatrais.

Heber: vocal, contrabaixo e violoncelo, está sempre a procura de novas informações em estilos e idéias em relação à música.

Juntos, dividem o palco e a elaboração dos arranjos em busca de uma estética sonora original. Mininus du Riu prepara seu primeiro CD com canções cuidadosamente pinçadas do vasto repertório da música brasileira, mas que na concepção da banda ganham ares modernos e de novidade, como Santinha (Mombaça e Chebabi) e A Viga que Sustenta o Nosso Amor (Mombaça e João Suplicy) .


Agora as músicas para vcs baixarem e ouvirem (não tem vírus, podem confiar):






Vcs vão se apaixonar!!!


Bjs... ;-)

quarta-feira, 6 de janeiro de 2010

Bacalhau da Mamãe

Olá pessoal!!!
Como estão todos? O ano começou para mim no dia 04/01... Afinal, temos q trabalhar! rsrs...
Bom, graças à Deus as festas de final de ano na minha casa foram ótimas, tudo na santa PAZ!
Uma comilança que só... rsrs...
E claro q vou dividir com vc uma fotinho básica do BACALHAU AO ZÉ DO PIPO DA MAMÃE. Infelizmente, não tenho a receita, pois a minha mãe, tudo que ela faz da cozinha, é "de olho" rsrs... Não aguento qdo digo: - Me dá receita mãe? E Ela diz: - Ah filha, não tenho receita, faço "de olho"! É doloroso ouvir isso... rsrs...
Mas aqui está, pelo menos enche nossos olhos de alegria, mas a barriga de quem vê fica triste! rsrs...
Bjkas...